2

Uma novidade que muitos, por não saberem o que é a natureza, possam dizer que seja este um fato irrelevante:  sessenta e seis árvores estão sofrendo na Avenida Mauro Ribeiro Lage, em Itabira,  desde 2003.

Ao longo do trecho, de aproximadamente um quilômetro, 66 espécies de sibipirunas  parecem pedir socorro a quem passa, mas centenas ou milhares de pessoas  não ouvem o grito e o pedido de atenção ou socorro quase explícito.

: Há 18 anos plantadas na Avenida Mauro Ribeiro, árvores chegam à tolerância zero e começam a fazer o seu “protesto”.

Há 18 anos plantadas na Avenida Mauro Ribeiro, árvores chegam à tolerância zero e começam a fazer o seu “protesto”.

Agora, quem ler este texto pode ver e receber um convite para visitar as sofridas árvores da Mauro Ribeiro. Observem no passeio central da avenida, raízes procurando espaço para se expandirem. Em outras palavras, elas querem viver, como o ser humano também quer. Todos lutam por um direito inalienável para no mundo se estabelecer enquanto dura o ciclo de cada um.

Com certeza muitos já ouviram falar  do Dia da Árvore. Ele é celebrado em 21 de setembro. Nesse dia, aparecem milhares que escrevem poemas bonitos, dissertações até premiadas, plantam espécies em ruas, avenidas, praças. Chamam a árvore de símbolo da natureza, dizem mentiras deslavadas no “ouvido” delas. E esquecem. “Hipocrisia?” – perguntam ambientalistas.

A resposta fica com eles mesmos e até com leigos que complementam: “Coitadas das crianças inocentes, que são enganadas e amam de verdade a árvore. Já existe muita consciência positiva em relação a isso, mas pode e deve melhorar, na opinião de um professor de biologia, que faz festa em todo início de primavera com suas classes de alunos.

FALA O SECRETÁRIO

As demonstrações estão claras demais; não vê quem não quer ou não tem sentimentos

As demonstrações estão claras demais; não vê quem não quer ou não tem sentimentos

Notícia Seca enviou pedido de informações a Denes Lott, secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano.  Ele, que não tinha conhecimento do problema, determinou a funcionários de  sua equipe que analisasse a questão. Mais tarde,  deu a resposta: “Estas árvores não foram adequadamente recolhidas para a arborização da avenida. Existem espécies com raiz pivotante, que se aprofundam e não causam este efeito”.

Juntou à sua atenção  “parecer de gente  com larga atuação na Secretaria de Meio Ambiente da PMI”.

PARECER DA “EQUIPE”

Um ângulo da Avenida Mauro Ribeiro: alguns acham bonita a paisagem, mas as árvores sofrem e agora se “rebelam”

Um ângulo da Avenida Mauro Ribeiro: alguns acham bonita a paisagem, mas as árvores sofrem e agora se “rebelam”

 “Fizemos uma consulta rápida em algum material que tínhamos.  Na verdade, várias espécies podem ser indicadas a locais como esse. Até sibipirunas  seriam  espécies indicadas. No entanto,  as suas raízes estão danificando o passeio. Poderíamos sugerir outras como ipê, resedá ou flamboyant, mas teríamos os mesmos riscos com as raízes”, diz o parecer.

E continua o relatório: “Além disso, em se tratando de ação pública, devemos avaliar tempo de crescimento, valor das mudas e manutenção ao longo de seu crescimento. Temos gostado das palmeiras que foram plantadas na Avenida João Pinheiro.  O problema com a raiz é eliminado mas aí surgem as questões com as folhas que são pesadas e podem machucar alguém que passe por baixo. Temos vários prós e contras, podemos avaliar com a equipe, se achar necessário, uma tentativa de substituição das sibipirunas”, conclui o texto.

DENES LOTT, DE NOVO

 

O secretário Denes Lott reafirmou que  na Avenida João Pinheiro têm árvores que se adaptaram bem lá, como exposto no relatório.

Informou que o plantio das árvores na Avenida Mauro Ribeiro ocorreu no primeiro mandato do governo de Ronaldo Magalhães, este processo entre os anos 2003-2004.

E, finalmente  concluiu sobre o destino das árvores: “Particularmente, penso que a troca agora  vai gerar um transtorno  e um prejuízo maior para as plantas. É uma posição pessoal”.

FINALMENTE…

Resposta à pergunta da chamada deste texto, apenas  para lembrar tal exemplo explicativo a fatos do dia a dia:  para cada ação do homem, pensada ou impensada, o risco é esperar  a repercussão automática e natural de quem sofre  calado, mas sempre dá o seu posicionamento final, tarda mas não falha: a mãe Natureza.

Que  no  próximo 21 de setembro venham com mais pudor, cheguem todos para  pedir desculpas às sibipirunas da Avenida Mauro Ribeiro e procurem entender o que é, verdadeiramente, a Natureza. Pelo menos saberão que, quando ocorrem tragédias “anunciadas” como o fim do mundo, dizem ser  o apocalipse, fatos anunciados por profetas, saibam que esses são reflexos naturais de ações desmedidas, trabalhadas por ignorantes ou irresponsáveis. Diz a voz popular: “Deus perdoa os ignorantes e lhes dá tempo para arrependerem-se, mas aos irresponsáveis, guilhotina já!”

NS (texto e fotos)

REINVENÇÃO ITABIRANA (3): AS TRÊS MARIAS NA HISTÓRIA DE ITABIRA

Matéria Anterior

MAIS 34 ESTAGIÁRIOS DE MEDICINA REFORÇAM EQUIPE DE SAÚDE EM ITABIRA

Matéria Seguinte
5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Darliete Araujo Martins
Darliete Araujo Martins
20 dias atrás

Eu venho observando faz algum tempo que as árvores estão crescendo sufocadas. O espaço é pequeno para que se desenvolvam, sem contar que não recebem água, nem adubo Sao no máximo podadas ou arrancadas e quebradas pelos vândalos.
Há que se envidar esforços no sentido de prover a cidade de cinturões verdes, de espaços mais arborizados em praças e jardibs virtude mesmo da poluição ambiental, da poeira suspensa que provoca centenas de problemas respiratórios dentre os quais a IRA -Insuficiência Respiratória Aguda, Sinusite , Rinite, Amigdalite, Doenças bronco pulmonares e outras, que vitiman todos os anos dezenas de crianças e idosos Itabiranos.
Denes Lott tem um longo trabalho pela frente para proteger a cidade da poluição do ar e do solo, com a também urgente e necessária preservação ambiental, e conservação de nossos mananciais e florestas. O Codema é um importante instrumento de apoio á causa, com muita experiência e trabalho ativo.

JUNTOS POR UMA ITABIRA MELHOR: AR PURO, AGUA LIMPA , SUFICIENTE E DE QUALIDADE PARA O CONSUMO HUMANO, DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E SAUDE PARA TODA A POPULAÇÃO.

Você também pode gostar