0

Nesta quinta-feira, 1.º de abril, reuniram-se virtualmente representantes da Prefeitura, que mostraram números da pandemia em março, em Itabira; e da sociedade civil, que fez  reivindicações e queixas.

Os números expostos ainda preocupam, e muito, disseram todos, mas há uma luz no fim do túnel. Porta-vozes do executivo municipal atribuem a esperança aos reflexos das medidas restritivas adotadas de acordo com o Minas Consciente.

PARTICIPANTES

Estiveram no debate virtual os seguintes personagens: secretários de Governo, Saúde e Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano – Gabriel Quintão, Eliana Horta e Denes Lott, respectivamente – representaram a Municipalidade; vereadores Weverton Andrade (presidente do Legislativo), Juber Madeira (líder do Governo), Bernardo Rosa, Júlio do Combem e Carlos Henrique, pela Câmara Municipal – à exceção do presidente os demais compõem a Comissão Covid-19; os representantes da sociedade civil presentes na discussão online foram Maurício Henrique Martins (presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas/CDL), Cidinha Lana (presidente da Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agropecuária de Itabira/Acita) e Dawson Passos (presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio.

NÚMEROS

A secretária Eliana Horta, de Saúde, afirmou que ainda há 31 pessoas em uma enfermaria adaptada no Pronto-Socorro Municipal, sendo que nove pacientes aguardam vagas em UTI. “Já abrimos 28 novos leitos de enfermaria e outros dois de UTI no Carlos Chagas entre o fim da última semana e início desta e nos preparamos para abrir mais dez leitos de UTI no Hospital Nossa Senhora das Dores, na próxima semana. Mas, pelo número que espera por vagas, assim que abrirmos os leitos eles já serão imediatamente ocupados; por isso essa importância de reduzir a transmissão”, completou.

O secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Denes Lott abordou números da fiscalização e lamentou que a atuação dos fiscais esteja sendo intensa neste período de Onda Roxa. Segundo ele, mais de 600 estabelecimentos já foram visitados somente em março. Seu raciocínio é este: “Isto demonstra, infelizmente, que a lei está sendo ignorada por muitos na nossa cidade”. Explicação de que vários empresários discordam, baseados no entendimento de que nem todos os visitados estariam descumprindo as normas impostas.

O secretário de Governo, Gabriel Quintão, falou sobre a queda dos números de contaminação: “Tínhamos uma taxa em 1,27 de contaminação (Rt) na semana do dia 8, que caiu para 1,2 e agora está em 1,16. É um claro sinal de que o ritmo da pandemia está diminuindo em Itabira, apesar de os leitos ainda estarem lotados e o número de mortes ainda ser muito alto. O que a gente acredita, no entanto, é que, com menos gente se contaminando, essas taxas tendem a cair nos próximos dias”.

REIVINDICAÇÕES

Os representantes da sociedade civil requerem, como desde o início, uma maior flexibilização das atividades do comércio lojista, cujos membros (proprietários e funcionários) se encontram em situação difícil, de acordo com alguns comerciantes. Citam situações como impostos e taxas a pagar, boletos vencendo, aluguéis em aberto, além de pagamentos de salários e encargos sociais.

Há quem afirme que está fechando a sua atividade. Uma ex-autoridade itabirana, que pediu para não ser citada, disse a Notícia Seca que “muitas portas vão mesmo ser fechadas em Itabira”.

Em nome de empresários, a maioria pequenos e médios, os participantes do encontro virtual solicitaram à Prefeitura medidas de auxílio, como outros setores recebem. E ironizam o fato de parecer que os pequenos empreendedores sejam os únicos culpados pela existência da Covid-19 em Itabira.

Foi requerida também, por Maurício Martins, a permissão de que ocorra atendimento parcial nas lojas para recebimento de contas. De acordo com o presidente da CDL, o governador do Estado, Romeu Zema, assinou norma permitindo que o comércio varejista receba, em uma espécie de meia-porta, a entrada de clientes, em espaços de um ou dois, para pagamento de carnês. Gabriel Quintão, de acordo com Martins, teria negado imediatamente.

“E eu pergunto — afirmou Maurício a NS — como os comerciantes farão os pagamentos de funcionários na primeira semana de abril? e os encargos sociais? Os aluguéis ficarão pendentes de pagamento? Itabira, além de seguir o Minas Consciente, tem uma frente de decisão só dela? É um aviso explícito para extinguir definitivamente o comércio de Itabira?”, finalizou.

O secretário Gabriel Quintão destacou que a Prefeitura trabalha para encaminhar à Câmara projetos de recuperação econômica, como o refinanciamento de dívidas (Refis), um fundo de financiamento e a Moeda Social. Os dois primeiros deverão ser enviados ao Legislativo até meados de abril, enquanto o da Moeda já segue aos vereadores após o feriado da Semana Santa, segundo o secretário.

RESULTADOS

A secretária Eliana Horta, diante da informação de queda no índice de infecção, acrescentou que a taxa de ocupação de leitos, por enquanto complicada, é também um indicativo que pesa. “No cenário que estamos, infelizmente, é inviável falar em reabertura. Está muito complicado. Precisamos que as pessoas permaneçam em suas casas neste momento”, finalizou.

Esta foi a segunda reunião do Comitê Inter-setorial. A terceira está marcada para quarta-feira da próxima semana, dia 7 de abril.

REBAIXAMENTO

Notícia Seca questionou Maurício sobre outros momentos da reunião virtual e se Maurício teria reclamado da ausência do chefe do executivo. Ele confirma que discutiu este assunto com os participantes e perguntou: “Por que o prefeito manda discutir com a gente somente pessoas sem poder de decisão? Comigo ele não conversa publicamente, falamos poucas vezes pelo telefone, só isso, gostaria de falar com ele frente a frente”.

Sobre o fato de o prefeito Marco Antônio Lage pedir ao itabirano que não compre em determinada loja e de atacar o manifesto que ele assinou, chamando o documento de algo de “quinta categoria”, Maurício Martins disse: “Não dou resposta nem satisfações a provocações; respeito a autoridade do prefeito, como cidadão que sou e participante da sociedade civil organizada”, concluiu.

No fim desta sexta-feira da Paixão, convites eram espalhados nas redes sociais. Tratava de nova reunião que o prefeito está convocando, online, para discutir extraordinariamente o tema Covid-19. Será realizada às 17 horas deste sábado, 3 de abril, com a sociedade civil itabirana.

NS

Foto: Coord.Com.Social/PMI

INSTITUÍDA EM ITABIRA LEI CHAMADA “MEU PRIMEIRO EMPREGO”

Matéria Anterior

PROSTITUTAS DE BELO HORIZONTE SUSPENDEM TRABALHO E PEDEM VACINAÇÃO URGENTE

Matéria Seguinte
0 0 vote
Article Rating
Acompanhe os comentários!
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Você também pode gostar

Mais em Saúde