Notícia Seca prefeitura
HUMOR POLÍTICA CRÔNICAS CULTURA GERAL JORNAL DE PREÇOS VÍDEOS MEIO AMBIENTE CIDADES ECONOMIA EDUCAÇÃO SAÚDE
Boa madrugada - Itabira, quarta, 05 de agosto de 2020   NOTÍCIA SECA CONTATO

HUMOR  
E AGORA, GERALDINO?
Cabrito diz que o futebol acabou 17/02/2020

 

O Cabrito pediu novamente a palavra para falar de futebol. E faz uma revelação, plagiando de certa forma Carlos Drummond de Andrade.

Leiam Sua Excelência o Mestre Capra:

 

E AGORA, GERALDINO?

 

E agora, Geraldino?

A festa chegou ao fim,

a bola parou de rolar redonda e decretou a sua pirraça fatal.

O entusiasmo esfriou, vai ficar congelado.

E agora, Geraldino?

 

E agora, que a TV não consegue mais vender paperview?

Os pernetas do futebol brigaram com a chuteira, as traves, a grama, o juiz, a bola.

E essa bola descobriu que chega de ser enganada, chega de sofrer nesse intenso penar.

Como dizia João Saldanha: “jogador de bola tem de ser craque,

tem de ser fera”. Ou vai ser “enxadeiro”, vai plantar batatas, bananeiras, vai engraxar sapatos.

E agora, Geraldino?

 

 

Ir ao campo sem ter o que ver?

Isto.... tudo está sem motivo, sem pretexto para enganar a mulher levemente. Dizer que vai ao jogo, mas passar no boteco e lá ficar, não é melhor assim?

Mas já não pode beber, já não pode fumar, xingar não compensa, xingar quem?

E agora, Geraldino?

 

 

A arquibancada se esvaziou, sua geral sumiu.

A conversa do comentarista já não tem mais graça, esses ex-pernetas viraram ex-entendedores. Entender o quê,  se nada mais tem para ver?

O bom de bola não há mais. Time só tem o Flamengo, o resto é mixirica. O urubu tomou conta. Descobriram que futebol era só dinheiro. E enfiaram a cara, confiaram nos pernas de pau, nos brucutus, que entraram no meio como os corruptos na política.

Esses pernas de paus encheram o campo, disseram-lhe que vale é correr, chutar pra cima, enfiar a bicuda, quebrar a perna do amigo, e ele tropeçou com distensão, contorceu o joelho, o tornozelo, a parte posterior virou parte total da coxa danificada.

E agora, Geraldinho?

 

 

Se o futebol acabou, agora fazer o quê?

Carnaval? Para dançar com quem? Pra quê?

Não, deixe isso pra lá. Se pensa que no Carnaval, que já não tinha motivo, salvaria o futebol que acabou, vai piorar sua situação, sua condição vai ou  já foi por água abaixo.

 

 

E agora, Geraldino?

Ainda vai tentar? Tentar o quê?

Relembrar Kafunga para dizer que os cabeças de bagre tomaram conta de tudo?

Ah... o juiz não deixa ele jogar mais. Mas o juiz mete a mão. Se ele  permite, o VAR proíbe. Mas o VAR também AVARcalha.

E o jogador, que ganhava milhões, agora luta para o esporte não acabar. Mas esse aí acabou de vez, antigamente chamado de esporte das multidões, um ópio sumido.

E agora, Geraldino?

 

 

Geraldino das gerais, sua força se extinguiu.

Seu entusiasmo que reacendia nos botecos,

seu instante de paixão, que levava a brigas triunfais, tudo isso não existe mais.

Seu olho arregalado na telinha, ou sua firmeza na geral,

sua bandeira tremulante e a esperança de vitória até o último instante, isto foi pro beleléu.

E agora, Geraldino?

 

 

A cegueira com a ganância de dirigentes se juntaram,  querendo uma sobra de dinheiro, mas a estratégia ficou no passado que não volta mais.

“Vai lá e busca mais um enganador”. E ele vem carregado pelo povo como herói.

Herói? Isto não existe também. Evaporou-se. Então, não adianta buscar capataz.

E você não tem mais o que fazer. O povo desconfiou de tanta trapaça. E agora?

 

 

Geraldino, com palavras bonitas no ar, o técnico, o diretor, o puxa-saco

querem convencer que seu time presta para uma final pelo menos

mas descobre que não existe mais final

porque nem morrer na praia pode mais,

a final acabou,

Geraldino, e agora?

 

 

Se você gritasse,

se você gemesse,

se você fizesse mais passeatas na porta de seu clube

com faixas, gritando “chega!” ainda dava para esperar.

Mas você perdeu a força.

Só não morre por teimosia.

E agora, Geraldino?

 

 

Vai fazer o quê?

Jogar peteca?

Assistir o voleibol repeteco?

Ver o basquete corrido?

Você não entende nada disso. Era apenas o futebol. Que acabou

E agora, Geraldino?.

 

 

Volte pro Carnaval. Mas vibrar com quê?

Invente um motivo qualquer para nele se agarrar.

Vá para as corridas de cavalo. Lá é melhor.

Mas você descobre que o cavalo é você,

você é o burro de carga, o baixeiro, o barbicacho, o pelego.

Só sente que  esperar que esses treinadores continuem berrando.

E esses berros consertam pernetas.

Então, o futebol acabou.

E agora, Geraldino?

 


 

 

caracafm
 
INFORMAÇÃO DE QUALIDADE! E-mail: contato@noticiaseca.com.br
Notícia Seca 2020. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvedor: SITE OURO