Notícia Seca prefeitura
HUMOR DOCUMENTÁRIO CRÔNICAS CULTURA GERAL JORNAL DE PREÇOS VÍDEOS MEIO AMBIENTE CIDADES ECONOMIA EDUCAÇÃO SAÚDE
Boa madrugada - Itabira, domingo, 18 de agosto de 2019   NOTÍCIA SECA CONTATO

CULTURA  
FESTA DE SANTA CRUZ FORTALECE A FÉ CRISTÃ
Ipoema revive movimento instituído no Império Romano 05/05/2018

Helena foi a mãe do imperador romano Constantino Magno. Ela era de família simples, plebeia. Casou-se com um tribuno militar chamado Constâncio Cloro. Desse casamento nasceu Constantino, em 285, que se tornaria imperador romano, o primeiro cristão da história.

O imperador Maximiano, quis unir-se a Constâncio Cloro, marido de Helena, para o governo Romano. Mas, para isso, impôs uma condição: que ele deixasse Helena e casasse com Teodora, parente do imperador. Helena passou para segundo plano, mas pôde cuidar da educação do filho Constantino e criar grande laço com ele. Ele, por sua vez, crescia no exército romano por causa de sua coragem e inteligência.

Depois da morte de Constâncio Cloro, Constantino, filho dele e de Helena, foi aclamado Augusto, Imperador Romano. Isso aconteceu no ano 306, na região inglesa de York, por meio das legiões da Bretanha, pelo fato importantíssimo de Constantino ter vencido a batalha.

TEMPOS NOVOS

Estava começando um novo tempo para o cristianismo. Até o ano de 313, Helena e Constantino ainda não eram cristãos. Mas, na batalha de Constantino contra Maxêncio, ocorreu um fato extraordinário. A situação era favorável a Maxêncio. Constantino, porém, contrário às perseguições contra o cristianismo, teve uma visão: uma cruz brilhante no céu, e as palavras: "Com este sinal vencerás".

Constantino, então, mandou pintar as bandeiras e estandartes de seu exército com esta cruz e venceu. Esse acontecimento causou a conversão de Constantino e de Helena. Constantino ordenou o fim das perseguições contra os cristãos, utilizando o famoso documento chamado “Édito de Milão”, no ano 313. Graças ao Édito, o cristianismo passou a ter os mesmos direitos das outras religiões. Anos mais tarde, o imperador Teodósio fez do cristianismo a religião oficial do Império Romano.

Helena, alguns anos depois, foi proclamada santa, ato justificado pela sua inabalável procurou se fé. Mostrou grande piedade ao longo de sua vida. Helena dedicou toda sua influência e ações para proteger a fé cristã, que emergia das catacumbas para o tempo da liberdade. O maior desejo de Santa Helena era visitar a Terra Santa. Apesar da idade e das agruras da viagem, ela conseguiu realizar seu sonho, e esteve por toda a região e promovendo o culto e mandando construir igrejas na Palestina.

A CRUZ DE CRISTO, ORIGEM DA FESTA

Santa Helena foi acompanhar escavações começadas em Jerusalém pelo bispo chamado São Macário. Esse encontrou o Santo Sepulcro escavado na rocha, a Cruz de Jesus e as duas cruzes dos ladrões. Santa Helena acompanhou tudo isso cheia de piedade e felicidade. O fato causou grande conforto para todos os cristãos. Entusiasmada com o acontecimento – a cruz de Cristo fazia milagres -  ela mandou que procurassem a gruta do nascimento de Jesus e o lugar sobre o Monte das Oliveiras onde Jesus falou com seus discípulos antes da Ascenção. Depois dessas descobertas, Santa Helena dedicou-se à construção de outras igrejas. Uma delas, que fica no monte das Oliveiras, recebeu mais tarde o nome de Santa Helena.

Depois de uma série de acontecimentos que comoveram o mundo cristão e dos esforços de Santa Helena, foi, então, atendendo desejo dela, instituída a Festa de Santa Cruz pelo mundo afora. Há cerca de 100 anos, a devoção cristã chegou a Ipoema, distrito de Itabira. Daí se proliferou essa fé que sempre foi reverenciada no local chamado Morro Redondo, na Capela do Senhor do Bonfim, reconstruída pela comunidade regional sob a liderança de Roneijober Alves de Andrade.

A FESTA EM IPOEMA

A centenária Festa de Santa Cruz, realizada todos os anos no mês de maio, em Ipoema, reúne centenas de féis e turistas no alto do Morro Redondo. Caminhantes de Itabira, Belo Horizonte, São Paulo e outras cidades brasileiras acordam cedo e se concentraram em frente à igreja central do distrito. De lá caminham numa extensão de 13 quilômetros até o alto do Morro Redondo, passando pela Cachoeira Alta, local que também atrai turistas.

Roneijober Andrade, também líder do movimento de reconstituição da festa, obteve uma grande aliada, além do povo ipoemense e de várias cidades.. Trata-se da artista internacional, Vilma Nöel, brasileira, nascida em Diamantina e hoje residindo em Nova York, que esculpiu, em grande estilo, duas esculturas que refletem o seu talento: uma delas o Senhor do Bonfim com 2,90 metros de altura e a outra, o Espírito Santo que compõe a fachada da capela. A artista assina outra importante obra para o Morro Redondo, um anjo denominado “O Destino”, que se tornou um novo cartão postal para o local, com 10 metros de altura, estilizado em bronze.

“Cruzes ao Vento” é o nome de um filme, editado por Afra Regina Sana, que agora quer transformá-lo em um longa metragem. A primeira parte aborda a fé religiosa do povo da região, que atrai devotos de todas as partes do Brasil. A produtora e diretora diz que novos acréscimos no filme visam atingir o maior objetivo: dar força à fé de milhares de cristãos que caminham para a Capela do Senhor do Bonfim, na localidade de Morro Redondo

Neste domingo, 6 de maio, Ipoema revive a festa, a partir das primeiras horas do dia, lembrando a sua importância religiosa: os milagres que se registraram a partir da vida de sua instituidora, Santa Helena, e de seu filho Constantino, imperador romano.

Se alguém perguntar porque Ipoema deu certo no seu projeto turístico, a resposta pode ser dada por dezenas de seus filhos, entre os quais se destacam, além do já citado fotógrafo Roneijober Alves Andrade, Eleni Cássia Vieira (que fez parte da equipe que criou o Museu do Tropeiro e o dirigiu por oito anos), do empresário Reinaldo Vieira, da historiadora Stael Azevedo, do ex-comunicador da Fiat Automóveis Marco Antônio Lage, incluindo empresários que investiram no distrito itabirano e a comunidade que apoia sempre os grandes projetos discutidos coletivamente.

FONTES:

                http://cruzterrasanta.com.br/historia-de-santa-helena/84/102/

                https://santo.cancaonova.com/santo/santa-helena-dedicou-se-ao-cristianismo/

                http://santahelena2011.blogspot.com.br/p/historia-de-santa-helena.html

                https://www.youtube.com/watch?v=ATawZBvbrTo

                http://www.aascj.org.br/home/2011/12/11099/

FOTOS: Roneijober Andrade

TEXTO: José Sana

 

 


 

 

graficavipitabira
 
INFORMAÇÃO DE QUALIDADE! E-mail: contato@noticiaseca.com.br
Notícia Seca 2019. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvedor: SITE OURO