2

Uma novidade que muitos, por não saberem o que é a natureza, possam dizer que seja este um fato irrelevante:  sessenta e seis árvores estão sofrendo na Avenida Mauro Ribeiro Lage, em Itabira,  desde 2003.

Ao longo do trecho, de aproximadamente um quilômetro, 66 espécies de sibipirunas  parecem pedir socorro a quem passa, mas centenas ou milhares de pessoas  não ouvem o grito e o pedido de atenção ou socorro quase explícito.

: Há 18 anos plantadas na Avenida Mauro Ribeiro, árvores chegam à tolerância zero e começam a fazer o seu “protesto”.

Há 18 anos plantadas na Avenida Mauro Ribeiro, árvores chegam à tolerância zero e começam a fazer o seu “protesto”.

Agora, quem ler este texto pode ver e receber um convite para visitar as sofridas árvores da Mauro Ribeiro. Observem no passeio central da avenida, raízes procurando espaço para se expandirem. Em outras palavras, elas querem viver, como o ser humano também quer. Todos lutam por um direito inalienável para no mundo se estabelecer enquanto dura o ciclo de cada um.

Com certeza muitos já ouviram falar  do Dia da Árvore. Ele é celebrado em 21 de setembro. Nesse dia, aparecem milhares que escrevem poemas bonitos, dissertações até premiadas, plantam espécies em ruas, avenidas, praças. Chamam a árvore de símbolo da natureza, dizem mentiras deslavadas no “ouvido” delas. E esquecem. “Hipocrisia?” – perguntam ambientalistas.

A resposta fica com eles mesmos e até com leigos que complementam: “Coitadas das crianças inocentes, que são enganadas e amam de verdade a árvore. Já existe muita consciência positiva em relação a isso, mas pode e deve melhorar, na opinião de um professor de biologia, que faz festa em todo início de primavera com suas classes de alunos.

FALA O SECRETÁRIO

As demonstrações estão claras demais; não vê quem não quer ou não tem sentimentos

As demonstrações estão claras demais; não vê quem não quer ou não tem sentimentos

Notícia Seca enviou pedido de informações a Denes Lott, secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano.  Ele, que não tinha conhecimento do problema, determinou a funcionários de  sua equipe que analisasse a questão. Mais tarde,  deu a resposta: “Estas árvores não foram adequadamente recolhidas para a arborização da avenida. Existem espécies com raiz pivotante, que se aprofundam e não causam este efeito”.

Juntou à sua atenção  “parecer de gente  com larga atuação na Secretaria de Meio Ambiente da PMI”.

PARECER DA “EQUIPE”

Um ângulo da Avenida Mauro Ribeiro: alguns acham bonita a paisagem, mas as árvores sofrem e agora se “rebelam”

Um ângulo da Avenida Mauro Ribeiro: alguns acham bonita a paisagem, mas as árvores sofrem e agora se “rebelam”

 “Fizemos uma consulta rápida em algum material que tínhamos.  Na verdade, várias espécies podem ser indicadas a locais como esse. Até sibipirunas  seriam  espécies indicadas. No entanto,  as suas raízes estão danificando o passeio. Poderíamos sugerir outras como ipê, resedá ou flamboyant, mas teríamos os mesmos riscos com as raízes”, diz o parecer.

E continua o relatório: “Além disso, em se tratando de ação pública, devemos avaliar tempo de crescimento, valor das mudas e manutenção ao longo de seu crescimento. Temos gostado das palmeiras que foram plantadas na Avenida João Pinheiro.  O problema com a raiz é eliminado mas aí surgem as questões com as folhas que são pesadas e podem machucar alguém que passe por baixo. Temos vários prós e contras, podemos avaliar com a equipe, se achar necessário, uma tentativa de substituição das sibipirunas”, conclui o texto.

DENES LOTT, DE NOVO

 

O secretário Denes Lott reafirmou que  na Avenida João Pinheiro têm árvores que se adaptaram bem lá, como exposto no relatório.

Informou que o plantio das árvores na Avenida Mauro Ribeiro ocorreu no primeiro mandato do governo de Ronaldo Magalhães, este processo entre os anos 2003-2004.

E, finalmente  concluiu sobre o destino das árvores: “Particularmente, penso que a troca agora  vai gerar um transtorno  e um prejuízo maior para as plantas. É uma posição pessoal”.

FINALMENTE…

Resposta à pergunta da chamada deste texto, apenas  para lembrar tal exemplo explicativo a fatos do dia a dia:  para cada ação do homem, pensada ou impensada, o risco é esperar  a repercussão automática e natural de quem sofre  calado, mas sempre dá o seu posicionamento final, tarda mas não falha: a mãe Natureza.

Que  no  próximo 21 de setembro venham com mais pudor, cheguem todos para  pedir desculpas às sibipirunas da Avenida Mauro Ribeiro e procurem entender o que é, verdadeiramente, a Natureza. Pelo menos saberão que, quando ocorrem tragédias “anunciadas” como o fim do mundo, dizem ser  o apocalipse, fatos anunciados por profetas, saibam que esses são reflexos naturais de ações desmedidas, trabalhadas por ignorantes ou irresponsáveis. Diz a voz popular: “Deus perdoa os ignorantes e lhes dá tempo para arrependerem-se, mas aos irresponsáveis, guilhotina já!”

NS (texto e fotos)

REINVENÇÃO ITABIRANA (3): AS TRÊS MARIAS NA HISTÓRIA DE ITABIRA

Matéria Anterior

MAIS 34 ESTAGIÁRIOS DE MEDICINA REFORÇAM EQUIPE DE SAÚDE EM ITABIRA

Matéria Seguinte
5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Darliete Araujo Martins
Darliete Araujo Martins
1 year ago

Eu venho observando faz algum tempo que as árvores estão crescendo sufocadas. O espaço é pequeno para que se desenvolvam, sem contar que não recebem água, nem adubo Sao no máximo podadas ou arrancadas e quebradas pelos vândalos.
Há que se envidar esforços no sentido de prover a cidade de cinturões verdes, de espaços mais arborizados em praças e jardibs virtude mesmo da poluição ambiental, da poeira suspensa que provoca centenas de problemas respiratórios dentre os quais a IRA -Insuficiência Respiratória Aguda, Sinusite , Rinite, Amigdalite, Doenças bronco pulmonares e outras, que vitiman todos os anos dezenas de crianças e idosos Itabiranos.
Denes Lott tem um longo trabalho pela frente para proteger a cidade da poluição do ar e do solo, com a também urgente e necessária preservação ambiental, e conservação de nossos mananciais e florestas. O Codema é um importante instrumento de apoio á causa, com muita experiência e trabalho ativo.

JUNTOS POR UMA ITABIRA MELHOR: AR PURO, AGUA LIMPA , SUFICIENTE E DE QUALIDADE PARA O CONSUMO HUMANO, DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E SAUDE PARA TODA A POPULAÇÃO.

Você também pode gostar