0

Suspensão de viagens vale, inicialmente, até sexta-feira(22)

Uma interdição na estrada de ferro que liga Minas a Vitória, no Espírito Santo, suspendeu as viagens feitas no trem operado pela Vale na última quinta-feira (21). O bloqueio também impede a realização do percurso nesta sexta-feira (22). Conforme nota enviada pela mineradora, a ferrovia foi fechada por manifestantes, que protestavam contra a Fundação Renova, ainda durante a manhã.

Foi preciso interromper as viagens em andamento e os passageiros finalizaram os trajetos em transporte rodoviário. “As reivindicações não têm relação com a operação ferroviária e o diálogo está sendo conduzido pela Fundação Renova. A Vale lamenta o transtorno e reitera seu compromisso com a segurança das pessoas e com as operações”, informou a empresa.

Os passageiros que não conseguirem embarcar podem remarcar as viagens ou solicitar reembolso do valor pago pelos bilhetes em um prazo de até 30 dias após a compra. Informações também podem ser obtidas por meio do do Alô Ferrovias 0800 285 7000 ou Whatsapp (27) 995035918.

Em nota, a Fundação Renova afirmou que não é possível “haver qualquer tipo de negociação mediante ações que violem o direito de ir e vir de terceiros, trazendo riscos para as pessoas”. Veja, abaixo, a nota na íntegra.

“A Fundação Renova esclarece que considera legítima qualquer manifestação pacífica popular, coletiva ou individual e reafirma que estabelece o respeito e o diálogo como prática norteadora de suas ações. Contudo, a instituição considera que não é possível haver qualquer tipo de negociação mediante ações que violem o direito de ir e vir de terceiros, trazendo riscos para as pessoas. 

Quem deseja pleitear indenização junto à Fundação Renova tem duas opções: O Sistema Indenizatório Simplificado e o Sistema PIM/AFE, que funcionam por meio de plataformas online disponíveis no site da Fundação Renova. Na primeira, implementada a partir de decisão judicial e que segue regras definidas pela Justiça, são tratadas tanto as categorias informais como as formais. Já a segunda é voltada para quem tem a comprovação dos danos e atende aos critérios de elegibilidade do Programa de Indenização Mediada (PIM) e do Programa de Auxílio Financeiro Emergencial (AFE), conforme o Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC).

A Fundação Renova permanece dedicada ao trabalho de reparação dos danos provocados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), propósito para o qual foi criada. Cerca de R$ 20 bilhões foram desembolsados nas ações de reparação e compensação pela Fundação Renova até fevereiro de 2022. As indenizações e Auxílios Financeiros Emergenciais (AFEs) pagos a atingidos de Minas Gerais e do Espírito Santo chegaram a R$ 8,74 bilhões, para mais de 368 mil pessoas.”

NS
José Sana, jornalista, historiador, graduado em Letras, nasceu em São Sebastião do Rio Preto, reside em Itabira desde 1966.

    A Suprema Corte está em maus lençóis

    Matéria Anterior

    O que muda no Mercado Imobiliário regional com as Zonas de Auto Salvamento de barragens?

    Matéria Seguinte
    0 0 votes
    Article Rating
    Subscribe
    Notify of
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments

    Você também pode gostar

    Mais em Economia