0

Estamos nos referindo a Isabel Rainha Madeira. Lúcida, sorridente, ela comemorou no último sábado, 2 de julho de 2022, 100 anos de vida. Rodeada de filhos, netos, bisnetos e tataranetos, alegre esperta, em sua residência, em Itabira.

Ela é filha de José Filomena Madeira e Joana Eugênia Ferreira, viúva de Francisco  Aniceto Martins, falecido aos 30 anos de idade. E ela, a verdadeira Rainha (tem rainha até no sobrenome) nunca mais teve um companheiro. Mas os descendentes seguiram a lei de Cristo:  multiplicaram-se.

CONTABILIDADE FAMILIAR

É justo e certo afirmar que há alguma dúvida sobre os nomes dos ancestrais. Se Dona Isabel Rainha teve, com Francisco Aniceto,  sete filhos e criou mais quatro , o total de membros dessa geração chega a onze, mas a família tem os nomes de dez: Simone, Ângela, José Maria, Antônio, Salete, Maria das Graças, Lúcia, José Agrigório (deve ser Gregório) e José Elvécio.

Agora anotem: a centenária funcionária da Fábrica de Tecidos da Pedreira teve 300 netos, mais de 200 bisnetos e 150 tataranetos. A informação vem de sua neta Eliana Tarcísia Martins, uma excelente líder comunitária, moradora do Bairro Monsenhor José Lopes.

FÁBRICA DA PEDREIRA

 Itabira perdeu a memória exatamente de um centenário para cá. Os historiadores das escolas, das pracinhas, botecos e outros locais contam que foi desligado o computador num certo tempo e pouco foi escrito depois das descobertas das grandes jazidas aqui existentes.

Aí surge a centenária Dona Isabel, que trabalhou de Serviços Gerais na Indústria Têxtil da Pedreira, de propriedade de Pedro Martins Guerra, o mesmo que sustentou a antiga Companhia Vale do Rio Doce depois de sua criação. O fim da Segunda Guerra Mundial foi trágico para a mineração itabirana. Cadê os compradores internacionais?

Dona Isabel completou 100 anos e revelou que trabalhou 9 (repito: nove anos) como servidora da Fábrica da Pedreira, hoje uma represa da Vale. E guarda desse tempo muitas histórias.

Bem-vinda à História de Itabira, Dona Isabel e parabéns de quem assinar esta declaração de que somos felizes em ter a senhora como prova da história oral que ainda não foi escrita. Mas será.

José Sana

Em 6/7/2022

 

NS
José Sana, jornalista, historiador, graduado em Letras, nasceu em São Sebastião do Rio Preto, reside em Itabira desde 1966.

    Hospital Margarida recebe R$300 mil do deputado estadual Mucida

    Matéria Anterior

    Itabira entra em acordo para conservação da bacia hidrográfica do Rio Piracicaba

    Matéria Seguinte
    0 0 votes
    Article Rating
    Subscribe
    Notify of
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments

    Você também pode gostar