0

Internet em Itabira é uma ficção

Parece incoerência da dupla Corubrito em se comunicar pela internet e ao mesmo tempo criticar a rede mundial de comunicação. Mas é preciso fazer uma defesa perfeita: a internet em Itabira ainda está em processo rudimentar. O dia a dia dela é criar “promoções” que só enganam os internautas. A frase mais escrita ou dita via usuários é esta: “Amanhã falamos; a internet aqui está péssima”. Aqui e acolá.

 

A Internet e o Armazém da Esquina

 

Se você vai ao armazém da esquina e compra 1/2 kg de feijão, o vendedor leva o feijão à balança, que mostra, no painel, o peso a ser pago. Se pede duas rapaduras, pode pegar, conferir que lhe são entregues a dupla de rapadura. Tudo o que pedir vem ao seu alcance, você pode estar bêbado ou mesmo ser analfabeto. Mas se você vai a um servidor chamado @qualquercoisanet, eis que na hora de pagar, paga corretamente, mas

ao receber não pode medir o tamanho do megabyte. Só sabe que nada abre, nada funciona e que nem adianta reclamar. A pergunta é: fazer o quê?

Itabira precisa de um jornal impresso

Tenho tudo para tomar esta iniciativa: criar um jornal impresso. Mas, infelizmente, não tenho tempo para dedicar-me de corpo e alma a esse projeto. Estou cuidando de escrever e organizar três livros, cujos temas sinto fazer falta ao cidadão.

O mundo, de maneira geral, sabia e sabe que o espaço para jornais impressos foi quase que completamente abandonado. Ficou um vácuo. Quem ocupa este espaço na região é apenas o jornal A Notícia, de João Monlevade, que permanece resistente e cada vez mais procurado nas bancas e por anunciantes.

Justificando a opção do jornal fundado por Márcio Passos, gerenciado por sua filha Maria Cecília e ainda pilotado por  Erivelton Braz, foi realizada uma enquete em Itabira e comprovado que o impresso continua sendo a bola da vez dos jovens e, principalmente, dos aposentados, acima de 60 anos, a maioria que não se adaptou à internet e tem a sua justificada razão. “O jornal impresso já vem mastigado pra gente ler, ele tem seus limites de informação; a internet mistura tudo, os anúncios pulam sempre à nossa frente e nos deixam perdidos” — palavras do senhor Joaquim Medeiros, de 67 anos, residente no Bairro Bela Vista, em Itabira.

Valério é Itabira

 

O nosso tradicionalíssimo Valeriodoce Esporte Clube está de volta ao futebol de Minas Gerais, oficialmente, a partir de 7 de agosto próximo, com o seu primeiro jogo, às 10h30, contra o Contagem da mesma cidade. O elenco parte de outro VEC, o Varginha Esporte Clube que, depois de vestir a sua própria camisa, enverga o uniforme vermelho e branco do Dragão.

Gente de Itabira, é hora de darmos as mãos ao nosso Clube, não é mais Vale, até porque a madrasta renegou o Rio Doce e ficou apenas com a Vale.

Vamos apoiar a coragem do itabirano João Mário de Brito e de seus assessores, e mostrar a Minas Gerais e ao Brasil que amamos o nosso torrão natal, nele vivemos com orgulho e temos fé no futuro.

 

Comércio de Itabira

A Prefeitura vai comprar de fornecedores locais e fará com que o dinheiro movimente a economia de Itabira e região, garante o prefeito Marco Antônio Lage.

“E a Prefeitura estará comprando com mais agilidade, oferecendo uma oportunidade legal para que o comerciante, o pequeno empresário e o prestador de serviços possa fornecer ao município sem a concorrência desleal dos grandes empresários lá de longe.

Uma nova lei que permite a priorização de contratar quem está mais próximo do poder público acaba de ser regulamentada na nossa cidade por um decreto que assinei com muita satisfação. Uma ação simples, mas de enorme importância: aquece a economia e ainda é capaz de gerar empregos, numa roda que gira e fortalece os empreendedores locais”, Esta é a palavra do prefeito.

“Incrível é que durante 170 anos Itabira estivesse comprando só lá fora!”— palavras de Corubrito.

Guerrilha Municipal

“Quando chega o período eleitoral em Itabira é inacreditável que a cidade deixe de lado a sua história muito rica de fatos interessantes, sua cultura recheada de grandes realizações, manifestações e costumes, e seu progresso gigantesco e se torne efetivamente caipira” — palavras de um delegado de polícia à imprensa, no início dos anos 2000.

Confirmando o que foi dito por uma autoridade, agora já está bem no ar, via internet, ou redes sociais, uma espécie de guerrilha que cuida somente de meter o pau, criticar quem é candidato ou pensar em destaque. Quer dizer que, pelo menos da década de 1950 para cá o pau quebrou e a tradição da terra de Drummond se tornou uma referência itabirana negativa.

 

Viva o humor

 

“Quando uma garota se casa está trocando a atenção de muitos homens pela desatenção de um só”.

(Helen Rowland)

“Eu era uma pessoa indecisa. Agora não tenho muita certeza disso”.

(Autor desconhecido)

NS
José Sana, jornalista, historiador, graduado em Letras, nasceu em São Sebastião do Rio Preto, reside em Itabira desde 1966.

    “Vestibular Unifuncesi 2022”

    Matéria Anterior

    Após 30 anos, Câmara de Itabira substitui telhas de amianto por termoacústicas

    Matéria Seguinte
    0 0 votes
    Article Rating
    Subscribe
    Notify of
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments

    Você também pode gostar

    Mais em Colunas